05/01/15 16:17

COMO AJUDAR AS CRIANÇAS A DESENVOLVEREM AUTONOMIA.

Vivemos atualmente uma geração de jovens que foram poupados por seus pais de passarem por algumas das experiências difíceis pelas quais esses passaram. Eles nos privaram de termos brinquedos muito simples, roupas herdadas de outras pessoas, de não comermos as comidas infantis da moda (salgadinhos, iogurtes, doces). Procuraram com muito esforço nos oferecer aquilo que não tiveram. Assim foi a criação de muitos dos que nasceram por volta da década de 1980.

A intenção foi boa, mas o efeito nem tanto. Muitos de nós crescemos tendo muitas facilidades, pouca necessidade de aprendermos as coisas práticas da vida, e com isto, pouca autonomia. Para ajudar pais, que como eu, fazem parte desta geração, separei algumas dicas que listo abaixo:

1. DEIXE OS FILHOS TEREM RESPONSABILIDADES NAS ATIVIDADES DO LAR

Lavar a louça, arrumar a própria cama, guardar a própria roupa, varrer o próprio quarto, estas são atividades que as crianças podem executar no lar, de acordo com sua idade. Atividades que criam nelas o senso de responsabilidade e as ajudam a desenvolver habilidades de autocuidado e autonomia nas coisas rotineiras do lar. Quantas moças e rapazes, hoje em dia, saem da casa dos pais e não sabem cuidar da própria casa? Não sabem cozinhar, lavar, passar… Coisas simples que poderiam ter aprendido desde a infância. São dependentes de outras pessoas nas tarefas mais básicas do cuidado de seu novo lar.

2. ADMINISTRE MESADAS 

Outra dificuldade que as pessoas possuem no que diz respeito à autonomia está na administração financeira. É na infância que as crianças precisam aprender o valor do dinheiro e como administrá-lo. Permita que seus filhos administrem pequenas quantias e aprendam a investi-las. Noções básicas de economia lhes farão muito bem no futuro.

3. CONVERSE COM ELES SOBRE A REALIDADE DO MUNDO EM QUE VIVEM 

Muitas vezes as crianças vivem alheias à realidade do mundo. Vivem no conforto de seu lar, sem saber que existem outras crianças que não possuem uma cama confortável, brinquedos legais, comida na mesa, etc. Ao permitir que nossos filhos conheçam esta realidade e ao conversarmos com eles sobre o que se passa com o mundo, estaremos os ajudando a desenvolver um olhar mais maduro sobre a vida, ao invés de fazê-los crescer em um conto de fadas. Isto lhes ajudará a enfrentar melhor os desafios da vida, inclusive aqueles que ocorrem na própria infância. 

4. DEIXE QUE CORRAM (SUPOSTOS) RISCOS 

Para correr riscos basta estar vivo. Corremos riscos o tempo inteiro, e nossos filhos também. Protegê-los só retarda o desenvolvimento de habilidades necessárias para conviver com estes riscos. Existem adolescentes que só saem de casa acompanhados por um adulto, ainda que seja para ir à papelaria. Os pais alegam que é perigoso sair à rua sozinho, e estes garotos e estas garotas, crescem com inseguranças e dependências. Desde que seja adequado a cada idade, é preciso permitir que as crianças lidem com coisas que oferecem riscos, para que elas aprendam a conviver de forma autônoma.

5. DEIXE QUE ELES SE SUJEM 

Em nome da limpeza impedimos que as crianças aprendam a fazer coisas sozinhas, a não depender tanto de nós. Não deixamos que comam sozinhos para que não sujem a roupa. Não deixamos que brinquem à vontade no quintal, para que não voltem imundos. E não percebemos que os tornamos frágeis e dependentes. Trabalhei há alguns anos com algumas crianças de 2 anos de idade que sabiam comer perfeitamente sozinhos. Isso só ocorria porque lhes foi permitido, um dia, que se sujassem na aventura de aprenderem a ter autonomia nas refeições.

6. DEIXE QUE EXPERIMENTEM OS SENTIMENTOS RUINS COMUNS DA VIDA 

Dor, frustração, decepção, tristeza, saudade, estes são alguns dos sentimentos que tendemos evitar que nossos filhos sintam. Contudo, não poderemos ter adultos emocionalmente saudáveis e com autonomia para lidar com as adversidades da vida, se não permitirmos que as crianças experimentem estas emoções e aprendam a lidar com elas. Elas precisam ser frustradas em alguns momentos para aprender que nem tudo é como desejamos. Precisam aprender a lidar com a saudade, para não sofrerem todos os dias ao se despedirem dos pais para entrar na escola. Precisam aprender a lidar com a dor, pois ela fará parte de todas as etapas de sua vida.

De acordo com o Dicionário Aurélio, um dos significados de autonomia é “independência administrativa”. Se desejarmos que nossos filhos desenvolvam autonomia, precisamos permitir que eles experimentem essa independência.

 

FONTE: Karyne M. Lira Correia – Psicóloga, mestre em Psicologia. Consultora em treinamento e desenvolvimento profissional. Palestrante e editora de conteúdo para internet.